Vamos falar sobre consentimento

Primeiro de tudo, nossa cultura brasileira nos ensina que somos “pouco donos do nosso próprio corpo e desejos”, principalmente as meninas. Crianças são ensinadas desde bem cedo que devem fazer o que as mandam com o seu próprio corpo.

Read More
Advertisements

Diferenças entre punição e consequência natural

Por que nós professores temos tanto pavor de punição? Além de ser uma palavra muito forte, não surge o efeito que deveria. As crianças não tem uma abstração mental tão desenvolvida para perceber que ela está de “castigo” por algo errado que fez.

Read More

Crianças independentes emocionalmente tem menos chance de desenvolver problemas psicológicos na adolescência e fase adulta

Na educação, uma das coisas mais difíceis é saber separar o nosso emocional do emocional da criança. É muito gratificante saber que tem um serzinho que depende de nós para se sentir melhor, se acalmar e se controlar. Mas isso está errado, o adulto não pode projetar a sua carência em cima da criança, é uma responsabilidade do adulto.

Read More

Como conversar sobre abuso sexual – até onde uma conversa pode ensinar o seu filho a se defender

Para a criança saber que tem algo “estranho”, ela precisa saber o que não deve esperar de algum adulto, amigo, parente. A partir dos 2 anos de idade, já podemos começar a conversar sobre consentimento. Não com essa palavra, claro. Mas podemos começar a explicar que o corpo dela é SÓ dela e quem decide o que quer fazer, quem pode encostar é unicamente ela. Mas como:

Read More

Eu tenho um aluno transgênero!

Recebi uma olhada torta e alguém me disse: “A fulana é transgênero” – Todos olharam firme para a minha cara, ficaram esperando alguma reação. Acho que pensei por algum momento que alguém poderia estar brincando, me testando né? Respirei e lembrei do país que eu moro, da naturalidade que eles abordam questões LGBT e respondi: “Ah, desculpa. Como você gostaria que eu te chamasse?” 

Read More